Logon
Blog

Neoplasia maligna: entenda o que é e por que acontece

Diagnóstico precoce aumenta as chances de cura e evita reincidência da doença

​De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), até 2022, o Brasil vai registrar cerca de 625 mil novos casos de neoplasia. Apesar de todo câncer ser um tumor, nem todo tumor é um câncer, pois existem neoplasias benignas e malignas. Saiba a diferença entra elas e quais os principais tratamentos disponíveis para ambas. 

O que é neoplasia?

A neoplasia é um tumor derivado do crescimento anormal do número de células no organismo, mais conhecido como câncer. Essa alteração pode ser classificada como neoplasia maligna ou benigna. 

Qual a relação da neoplasia com o câncer?

Todo câncer é uma neoplasia, mas nem toda neoplasia é um câncer. Enquanto o tumor benigno é uma massa com crescimento celular organizado, a neoplasia maligna é aquela em que as células crescem desordenadamente e podem se espalhar para órgãos e tecidos adjacentes, processo chamado de metástase.

Como identificar sintomas de neoplasia?

Os indícios da neoplasia maligna podem variar de acordo com o tipo e a área atingida. Os mais comuns são:

  • perda de peso sem motivo aparente;
  • cansaço excessivo;
  • surgimento de nódulos;
  • manchas suspeitas na pele;
  • sangramento nas fezes ou na urina;
  • dor persistente sem causa definida.
  • Caso perceba algum desses sintomas, consulte um médico para obter um diagnóstico preciso.

Como saber se a neoplasia é benigna ou maligna?

O crescimento do tumor benigno se dá de forma mais lenta e controlada e ele é composto por células semelhantes às “originais". É preciso atenção para que não cresçam exageradamente ao ponto de comprimir estruturas vizinhas. O mioma é uma neoplasia benigna bastante comum. Atinge o tecido muscular do útero e pode causar cólica, sangramento ou dificuldade de engravidar.

Já a neoplasia maligna se desenvolve rapidamente, é formada por células anômalas e pode invadir outras áreas. No Brasil, os tipos de câncer com maior incidência em homens são o de próstata, intestino grosso e pulmão. Nas mulheres, os de mama, intestino grosso e colo do útero.

Os exames de imagem podem ajudar na diferenciação entre um tumor benigno e maligno. Na investigação de tumores da mama, por exemplo, o médico pode solicitar exames como a mamografia. Em alguns casos, é necessário fazer uma biópsia para ter certeza de que um tumor não é maligno. 

Tratamento: neoplasia tem cura?

Sim. Várias neoplasias são passíveis de cura, principalmente quando diagnosticadas precocemente. O primeiro passo é identificar a região, o tipo e o estágio em que o tumor se encontra. No caso das neoplasias benignas, muitos quadros são resolvidos pela remoção do tumor, não sendo necessários outros tratamentos.

Enquanto isso, o câncer pode ser tratado por meio de intervenções cirúrgicas, quimioterapia ou imunoterapia (medicamentos que destroem as células tumorais), radioterapia (radiação ionizante que elimina o tumor ou impede seu crescimento) e, quando necessário, transplante. O CHN Oncologia dispõe de avançados recursos tecnológicos para diagnóstico, acompanhamento e tratamento de diversos tipos de câncer em adultos, crianças e adolescentes. Para agendar um atendimento, ligue para (21) 2729-1000.​

Veja mais

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Conheça o nosso Portal de Privacidade .