Logon
Blog

Como se proteger da hepatite A durante as férias de verão?

Água filtrada e alimentos higienizados previnem o contágio pelo vírus

​O início do ano é um dos momentos mais propícios para aproveitar o verão. E mesmo que as medidas de prevenção para conter o avanço da COVID-19 ainda estejam em vigor, ainda é possível se divertir nos dias quentes. Porém, essa época também é marcada pela maior incidência da hepatite A, já que o vírus se prolifera em água contaminada.

Segundo o dr. Rodrigo Luz, hepatologista e coordenador do Centro Hepatobiliar do CHN, essa doença é transmitida através do contato com água, bebida ou alimento – principalmente verduras, frutas e vegetais crus e frutos do mar mal lavados – com a presença do vírus ou através do contato com uma pessoa infectada. Isso exige um cuidado maior na hora de escolher o alimento que será consumido tanto em casa quanto em restaurantes.

É necessário higienizar os alimentos com muito cuidado para diminuir ao máximo as chances de contágio pelo vírus da hepatite A. O mesmo vale para a água que for consumida, ela deve ser filtrada e própria para o consumo. Outra forma de prevenir a doença é evitando praias, lagoas e cachoeiras com indícios de poluição"

Durante a pandemia, muitas pessoas estão fazendo as compras de mercado de forma virtual e pedindo para enviar em casa. Os produtos que forem entregues, principalmente as frutas, verduras, legumes e frutos do mar, devem ser imediatamente higienizados para diminuir as chances de infecção tanto pela hepatite A quanto pela COVID-19. Higienizar as mãos com água e sabão ou álcool em gel durante o dia também contribui para essa segurança.

Como os sintomas iniciais da doença são muito semelhantes aos de outros quadros comuns, é mais difícil realizar o diagnóstico na fase inicial. Porém, a boa notícia é que a grande maioria dos casos de hepatite A não evolui para um estágio perigoso e, segundo o dr. Rodrigo, basta ficar em repouso e beber bastante água para recuperar-se por completo.

Principais sintomas da hepatite A

- dores pelo corpo;

- desânimo;

- mal-estar;

- urina escurecida;

- olhos e pele amarelados (icterícia).

Porém, se os sintomas persistirem, é indicado que o paciente busque orientação médica – já que, nos casos mais graves, pode haver a hepatite fulminante, em que a função hepática fica seriamente comprometida. Além de ter atenção redobrada com a água e os alimentos consumidos, a vacina contra a hepatite A é a principal forma de prevenir a doença. Ela deve ser tomada em duas doses, com intervalo de seis meses.​

Veja mais

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Conheça o nosso Portal de Privacidade.